terça-feira, novembro 25, 2008

saudade

Numa das minhas tardes preguiçosas, estava assistindo “Troca de Família” e eu ainda não entendi como uma pessoa pode sentir tanta falta da família em uma semana. Eu não sei se a minha família é tão chata que eu não consigo sentir falta dela ou se eu realmente não funciono normalmente.
Sinceramente, eu passo quase 2 meses sem ver meu pai, e quando a gente se vê nem tem choro, nem explosão de fogos, nem uma festa me esperando. E quando eu chego a minha mãe não está me esperando com presentes, sorrisos e abraços, geralmente ela começa a reclamar da bagunça que eu faço.
Não é que eu não goste deles, ou que eu seja um robô que não sente saudades. É que simples mente eu não sou assim, tão emotiva… Eu já chorei de saudade e foi uma das piores dores que eu pude sentir, a dor de não poder ver nunca mais a mesma pessoa, de apenas ter que conviver com as lembranças que ela te deixou, apenas com a saudade.
A melhor maneira de não doer tanto a saudade, é aproveitar o que está acontecendo enquanto você está presente, aproveitar cada pedacinho, cada detalhe que um dia você pode não ver mais. E depois quando essa onde for embora você vai apenas se lembrar o que ela te deixou, vai ver ela voltando para o horizonte, voltando para onde ela estava quando você a conheceu. Você se lembrará da brisa, do vento e do oceano e verá que as pessoas são não o que elas poderiam ter sido mas sim, o que elas foram para você.

Um comentário:

  1. Nossa Carol, que post triste!

    :cry:

    Eu amei! *.*
    Deprê é comigo mesmo!

    Beijo

    ResponderExcluir