segunda-feira, dezembro 15, 2008

cagando no maiô

Nunca queira que a sua mãe te amaldiçoe, believe me. Provavelmente vocês devem saber que eu estou de olho em um certo boy faz um tempinho, mas ficar de olho não siginifica ficar in love, right right? Mas eu subi de estágio e passei de “ estar de olho” para “estar in love”.
Não haveria problema em se apaixonar SE ele não fosse baiano, SE ele não tivesse um grupo de pagode, SE ele não fosse cafona. Pronto falei mesmo.
Eu estava indo para a praia, oks, quando eu chego na casa da Pri, quem está lá sem camisa e, ai morri, com aquela tatuagem? Caguei no maiô total.
Comofas pra abordar um menino baiano? Eis a questão que eu nunca pensei precisar da resposta! Eu estou tão decepcionada com a minha escolha, mas ele é tão, tão ... Eu não sei explicar.
Ontem quando eu cheguei em casa passei o resto do meu domingo pensando nele, naqueles olhinhos, naqueles braços, e naquela baianice toda. Ele me olha, me olha com aquela cara e dá um sorriso. Não sei, acho que ele me acha “do rock”, e deve ter medo de mim.
Mas eu prometo que quando ele vier fazer um show aqui no Nação eu vou!

Beijo da amiga de vocês que se fodeu e está morrendo de saudades.
Eu acredito que essa minha fase é consequência da maldição que a minha mãe sempre me joga, que eu vou me apaixonar por um menino super cafona e vou achar lindo.
Desejo pra vocês muitos "rsrs", muito Sampa Crew, muitos "Vô, num Vô" e muitos orkuts com a namorada.

terça-feira, dezembro 02, 2008

pieces of what?

Cada ano que passa, eu tenho mais certeza que a escola é o inferno na Terra, sem brinks nenhuma. Aquele é o reduto das pessoas mais estúpidas, maldosas, preconceituosas e ignorantes que se pode reunir em uma sala de 40 pessoas.
Odeio eles, odeio de verdade. E eu espero vê-los num futuro bem próximo com seus empregos de motoboys e operadores de telemarketing.
Queria dizer que cada vez que acaba um ano, eu sinto que posso respirar melhor porque meu tempo na maravilhosa companhia deles está diminuindo. Sim, eu passei a minha vida escolar inteira no canto da sala, com meus amigos esquisitos idem, eu nunca quis fazer parte do grupo dos "Legais", mas quem disse que eles respeitaram isso? Eles resolveram acreditar que eu era um E.T porque eu não aderi a Central Surf, ao Nação Tan- tan, nem ao Nike Shox, nem ao Créu, nem a falta de educação e inteligência, e nem a ser "zica".

Quando eu sair da escola eu não vou ter ótimas lembranças do colegial ou coisas assim, vou apenas me sentir aliviada por ter me livrado das pessoas insuportáveis que faziam as minhas manhãs sonolentas mais estressantes do que o normal.
Eu só tenho pena. Ódio. E desprezo.
Essas pessoas só merecem o meu desprezo. Malditos.

Adeus 2° Colégio.

Vejo vocês no inferno.